A Concepção do Simulador:

Sala de introdução às operações com equipamentos portuários, a partir da simulação com Guindastes e Pontes Rolantes, etapa fundamental que precede a prática em situação real, a bordo de embarcações.

O simulador de operações oferece as condições mais seguras ao aprendizado, permitindo que erros sejam corrigidos e, até mesmo, sejam propositalmente criados para aprimorar o trabalho do operador

O simulador permite ainda a análise dos movimentos executados pelo trabalhador, corrigindo vícios naturais das manobras, controlando balanços e aprimorando a prática com o equipamento.

Dependendo da experiência do trabalhador com equipamento similares, são necessárias entre 20 e 30 horas para que possa estar apto à prática a bordo de navios.


Resgate da História
Embora tecnológico, o simulador replica exatamente o ambiente atual da
cabine de operações!

O Simulador Operacional da Fundação CENEP foi equipado com os mais modernos recursos entre computadores, software “ARI”, console de operações e tela côncava de visualização de 66 polegadas, além de projetores de LED que simulam o brilho do Sol sobre o campo de visão dos operadores.

Entretanto, para aproximar o trabalhador a realidade do espaço e do arranjo físico habitualmente encontrado nos navios, a Fundação CENEP elaborou um projeto específico para a cabine de operações, que procurou resgatar o formato e a estrutura dos antigos guindastes da Cia. Docas de Santos na década de 1940, para construir um conceito entre a inovação e a história.

Assim e, com a esmerada colaboração da valorosa equipe da marcenaria da CODESP, foi construído o casario, lanças e guinchos semelhantes aos mais famosos guindastes do século passado que equiparam o nosso cais

Partes e peças de antigos guindastes foram selecionados nos depósitos de sucata e recuperados para que fossem instalados na estrutura de madeira, sendo possível conciliar as novas tecnologias com a história do Porto num ambiente que aproximou definitivamente o “virtual” do “real”.

Em maio de 2017, a primeira turma de vinte estivadores, sob a instrução do Professor Ursino Novaes iniciaram as aulas no Simulador de Guindaste de Bordo, etapa que precedeu a prática a Bordo do navio panamenho “DAI SHAN HAI”, bem como, abordo do navio oceanográfico brasileiro ALPHA CRUCIS”.